Rogério Micale não resiste a novo vexame do GaloRádio Itatiaia na cobertura da Expo InoxFesta do Rosário é realizada em Timóteo

Mais da metade da bancada mineira tem sido fiel a Michel Temer em todas votações

Política

Você acompanha o trabalho do político no qual votou? Sabe como ele vota quando é confrontado com questões importantes para o país? Sabe quanto ele recebeu em emendas para investir em projetos para Minas nos últimos meses?

A Itatiaia compilou essas informações e apresenta o monitoramento que traz os votos dos deputados em questões polêmicas.

Sempre que houver uma votação importante, você poderá acompanhar aqui e no Jornal da Itatiaia o posicionamento do candidato em quem você depositou sua confiança e comparar com outros políticos.

Até o momento, mais da metade da bancada mineira – formada por 53 parlamentares – na Câmara Federal tem se mostrado fiel ao presidente Michel Temer desde o ano passado. Juntos, os deputados que compõem esse núcleo receberam quase R$ 100 milhões a mais em emendas do que os outros representantes do estado na Casa.

Ouça a reportagem completa de Alessandra Mendes

Cientista político comenta levantamento da Itatiaia sobre postura da bancada mineira

Em vias de votações importantes, como as reformas política, da Previdência e tributária, o governo federal investe em negociações para garantir a aprovação dos projetos.

De olho nessas movimentações, a Itatiaia apresenta um levantamento que mostra como tem se posicionado os deputados da bancada mineira nas votações mais relevantes desde abril do ano passado (confira a lista completa abaixo).

Já foram analisados, desde então, o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estabeleceu o teto de gastos do governo federal, a reforma do ensino médio, a terceirização, a reforma trabalhista e a denúncia contra o presidente Michel Temer.

Dos 53 parlamentares de Minas, 28 se mostram leais aos posicionamentos defendidos por Temer nessas votações. Alguns compareceram em todas as seis sessões, outros foram na maior parte delas e todos se mostraram alinhados às propostas defendidas pelo Palácio do Planalto.

São os deputados:

Bilac Pinto (PR)

Bonifácio de Andrada (PSDB)

Caio Nárcio (PSDB)

Carlos Melles (DEM)

Delegado Edson Moreira (PR)

Diego Andrade (PSD)

Domingos Sávio (PSDB)

Eduardo Barbosa (PSDB)

Fábio Ramalho (PMDB)

Franklin (PP)

Jaime Martins (PSD)

Leonardo Quintão (PMDB)

Luis Tibé (PT do B)

Luiz Fernando Faria (PP)

Marcelo Aro (PHS)

Marcos Montes (PSD)

Marcus Pestana (PSDB)

Mauro Lopes (PMDB)

Misael Varella (DEM)

Newton Cardoso Jr (PMDB)

Paulo Abi-Ackel (PSDB)

Raquel Muniz (PSD)

Renzo Braz (PP)

Rodrigo de Castro (PSDB)

Rodrigo Pacheco (PMDB)

Saraiva Felipe (PMDB)

Tenente Lúcio (PSB)

Toninho Pinheiro (PP)

Chama a atenção o valor destinado em emendas – liberado pelo governo federação – aos deputados que têm votado conforme as pautas defendidas pelo presidente.

Levantamento feito pela Itatiaia no site Siga Brasil, do Senado Federal, mostra que, de agosto de 2016 a julho de 2017, os deputados da bancada mineira alinhados às propostas de Temer receberam, juntos, quase R$ 100 milhões a mais em emendas do que os outros parlamentares de Minas.

Aos 28 políticos fiéis a Temer foram destinados R$ 292 milhões, enquanto os outros 25 ficaram com R$ 196 milhões. A diferença de um grupo para o outro é de quase 50% em valores empenhados e já pagos. No topo da lista dos que mais receberam recursos para emendas estão:

Paulo Abi-Ackel (PSDB): R$ 16,7 milhões

Toninho Pinheiro (PP): R$ 16 milhões

Bilac Pinto (PR): R$ 14,2 milhões

Newton Cardoso Júnior (PMDB): R$ 14,2 milhões

Eduardo Barbosa (PSDB): R$ 13,6 milhões

Há também os deputados que chamam a atenção pelo posicionamento aparentemente incoerente nas votações mais importantes nos últimos meses. É o caso, por exemplo, dos deputados Dimas Fabiano (PP), Renato Andrade (PP) e Marcelo Álvaro Antônio (PR), que se posicionaram contra a reforma trabalhista, mas a favor da terceirização.

Outro comportamento que chama a atenção é o do deputado Gabriel Guimarães (PT), que faz oposição ao governo. O parlamentar não participou das votações da reforma trabalhista e da terceirização e se absteve na votação sobre a PEC do teto de gastos.

Isso sem falar nos deputados que votaram pela saída de Dilma e pela permanência de Temer. Como a Itatiaia já informou anteriormente, 29 parlamentares da bancada mineira tiveram esse comportamento.



Foto Marcelo Camargo/Agência Brasil
Por Itatiaia BH