Cruzeiro perde para o GrêmioCâmara procura acordo no SenadoMetade da bancada mineira é fiel a Temer

Com dois gols contra, Cruzeiro vence Murici e avança para a 4ª fase da Copa do Brasil

Cruzeiro

Foto: Washington Alves/Cruzeiro


Sem muitas dificuldades, o Cruzeiro avançou para a quarta fase da Copa do Brasil. Diante de um adversário frágil, o time celeste voltou a vencer o Murici, desta vez, por 3 a 0, nesta quarta-feira, no Mineirão, pelo duelo de volta da terceira fase do torneio nacional. O resultado amplia a invencibilidade celeste na temporada, com 12 vitórias e um empate.

A Raposa nem precisou contar com o poderio de seu ataque para fazer três gols, já que dois deles foram contra. Aos 31 minutos do primeiro tempo, o zagueiro Cláudio cabeceou para as próprias redes após cobrança de falta de Thiago Neves para dentro da área.

Seis minutos depois, o Cruzeiro ampliou. Rafael Sobis sofreu pênalti, depois que Edson Veneno saltou nas suas costas. Ele mesmo foi para a cobrança e converteu. Aos 38 do segundo tempo, o meia Deysinho cabeceou contra o próprio gol depois que Thiago Neves cobrou escanteio fechado.

E por falar em Thiago Neves, o armador poderia ter feito o seu primeiro gol com a camisa do Cruzeiro, em cobrança de pênalti aos 31 minutos do segundo tempo. Mas ele bateu mal, no meio, e o goleiro Dias defendeu.

Como já tinha vencido por 2 a 0 em Murici, o Cruzeiro avançou com o placar agregado de 5 a 0. A equipe celeste conhecerá seu adversário na quarta fase da Copa do Brasil na próxima sexta-feira, quando a CBF fará o sorteio para definir os confrontos.

Agora, o time celeste volta as atenções para o Campeonato Mineiro. No domingo, às 16h, a Raposa enfrenta o Tombense, no Mineirão, pela oitava rodada.

O jogo

Com a boa vantagem conquistada na primeira partida, o técnico Mano Menezes poupou alguns titulares, como o zagueiro Manoel e o volante Henrique. Assim, Caicedo atuou na defesa ao lado de Léo, enquanto Hudson ganhou uma vaga no meio-campo.

Mesmo precisando da vitória, o Murici entrou recuado, marcando praticamente com 11 jogadores atrás do meio-campo. Já o Cruzeiro com seu sistema ofensivo titular, dominava o jogo e criava inúmeras oportunidades.

Aos cinco, Rafael Sóbis recebeu de Alisson e, sozinho, dentro da área, chutou por cima. Pouco depois foi a vez de Sóbis passar e Robinho finalizar com perigo. E, aos 21, também sem marcação, Alisson tabelou com Thiago Neves e desperdiçou chance clara.

Era um jogo em que somente um time atacava. E, após tanto pressionar, o Cruzeiro finalmente abriu o placar aos 31: Thiago Neves levantou falta na área e o zagueiro Cláudio desviou contra o próprio gol.

Apenas cinco minutos depois o time mineiro praticamente definiu a classificação. Edson saltou sobre as costas de Rafael Sóbis dentro da área e, na cobrança de pênalti, com força, o próprio atacante ampliou.

Nada mudou após o intervalo. Recuado e sem qualidade para sair jogando, o Murici via o Cruzeiro ocupar o campo ofensivo e perder seguidas chances, a primeira delas logo aos três, quando Thiago Neves recebeu sozinho cruzamento e desperdiçou de cabeça. Alisson, aos 11, após dominar dentro da área, finalizou rasteiro e exigiu grande defesa do goleiro Dias. E, aos 15, também com perigo, Robinho chutou para fora.

Enfim, aos 18 do segundo tempo, o Murici criou sua primeira chance: Paulo Sérgio chutou prensado, a bola desviou e Rafael fez defesa espetacular. Mas foi só. Aos 31, Thiago Neves ainda desperdiçou pênalti. O camisa 30 celeste cobrou mal, no meio do gol, e o goleiro Dias defendeu. Era a chance para o meia marcar seu primeiro gol com a camisa do Cruzeiro.

Aos 38, novamente com um gol contra, desta vez de Deysinho, o Cruzeiro ampliou e garantiu a tranquila vitória.

Cruzeiro 3 x 0 Murici-AL

Cruzeiro: Rafael; Ezequiel, Caicedo, Léo e Diogo Barbosa; Hudson, Ariel Cabral (Lucas Silva), Robinho (Élber), Alisson e Thiago Neves; Rafael Sobis (Ramón Ábila). Técnico: Mano Menezes

Murici-AL: Dias; Cláudio, Sinval e Edson Veneno; Paulo Sérgio, Edvaldo Rambo, Gueba (Thalison), Júnior Murici (Sorin), Deysinho e Patrick; Paulo Victor (Kattê). Técnico: Roberval Davino

Motivo: jogo de volta – Terceira Fase da Copa do Brasil
Data e horário: 15 de março de 2017, quarta-feira, às 21h45
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Gols: Cláudio (contra - 31’/1º), Rafael Sobis (pênalti - 37’/1º), Deysinho (contra – 38’/2º)

Cartão Amarelo: Patrick (Murici)

Árbitro: Savio Pereira Sampaio - DF (CBF)
Auxiliares: Daniel Henrique da Silva Andrade - DF (CBF) e Lucas Costa Modesto - DF (CBF)

Público: 9.106 pagantes / 6.963 presentes
Renda: R$ 106.677,00


Por: Redação/Agência Estado/editoria de web Itatiaia.